O poder da energia feminina nas relações

Nos dias de hoje, o lado feminino precisa ser cada vez mais valorizado nas relações. E quando falamos de feminino, não nos referimos exclusivamente às mulheres, você sabia?

Todos nós, seres humanos, independentemente do gênero, carregamos ambas as polaridades feminina e masculina. Você já ouviu falar em Yin e Yang? Yin Yang é um princípio da filosofia chinesa que descreve yin e yang como duas energias opostas e complementares, que representam a dualidade de tudo que existe no universo.  Tal conceito, cuja base é a harmonia e o equilíbrio, diz que cada ser possui um complemento do qual depende para existir – e que se encontra dentro de si próprio.

Simplificadamente, yin é o princípio feminino e yang, o masculino e não existem isoladamente dentro de cada um de nós. O que seria do feminino sem o masculino e vice-versa? Ambas as energias existem dentro de nós e são vitais. O segredo é mantê-las em harmonia e equilíbrio.

A energia feminina está relacionada à suavidade, à sensibilidade, à intuição e, principalmente, à receptividade.  Ela nos conduz a uma comunicação mais amorosa (com expressão de sentimentos e emoções), à criatividade, à empatia e ao cuidado com o outro.  Por outro lado, a energia masculina se refere mais à força, ao ímpeto, à lógica e à racionalidade – que, por sua vez, nos leva à ação, à capacidade de realização, à assertividade, à conquista e ao confronto.  

Quando somos capazes de manter essa dualidade equilibrada e bem resolvida dentro de nós, nossos relacionamentos são extremamente beneficiados. Se numa relação a dois a energia masculina predomina, é possível que haja uma tensão forte e constante – o que dificulta manter a paz. Já quando o feminino prevalece, geralmente o casal enfrenta dificuldades de se impor e de estabelecer limites. Daí a importância do equilíbrio, para que o relacionamento não fique nem lá, nem cá.  

Uma relação feita de polaridades equilibradas

Hoje vivemos em uma realidade que pede, a todo momento, que nós, mulheres, sejamos fortes e estejamos preparadas para o combate. Então, acabamos, muitas vezes, usando mais a nossa energia masculina, a força, a comunicação enfática e o comportamento reativo do que deveríamos. Isso faz com que nossas energias yin e yang se desequilibrem. O que no mercado de trabalho talvez possa ser aceitável, tal comportamento pode prejudicar nossos relacionamentos pessoais.

Quando adotamos uma forma de agir mais yang, tornamo-nos mais competitivas e muito menos receptivas dessa mesma energia por parte dos homens. E então, corremos um grande risco de perder o lado bom da relação: a convivência pacífica, a compreensão amorosa, a comunicação que dialoga ao invés de brigar.  

Feminino e masculino, juntos e equilibrados, garantem uma comunicação assertiva, um comportamento tanto ponderado quanto forte e uma relação mais madura. Entretanto, é inegável o poder da energia feminina nas relações. Com o feminino em equilíbrio, ficamos mais abertas, menos ressentidas. Vale muito a pena investir em um caminho de autoconhecimento e perceber como está seu nível de energia feminina e de que forma você a expressa em suas relações. Abrir espaço para equalizar as polaridades e se apropriar da sua energia é um grande ato de amor.

energia feminina relacionamentos.jpg

Como você fala sobre seus relacionamentos passados?

O primeiro passo para viver o novo é aprender com o que passou. Como você fala sobre seus relacionamentos passados? Com mágoa e rancor, ou de uma forma leve e com gratidão?

Como você fala sobre seus relacionamentos passados? Isso fala muito sobre você e sobre como recebe e lida com as situações da vida. Temos o costume de dizer que nossos relacionamentos passados não deram certo. Mas nos esquecemos do fato de que eles deram certo sim, pelo tempo que tinham que dar! Alguns relacionamentos duram dias, outros, décadas. E cada um dura o suficiente para que possamos aprender o que o outro veio nos ensinar.

Dizer que um namoro ou casamento não deu certo é se conectar com a sensação e a vibração de fracasso ou de derrota, percebe? E essa sensação faz com que nos esqueçamos do que fez valer a pena enquanto durou. Quando nos referimos a algo do passado com raiva, mágoa, rancor ou até arrependimento e lamento, seguimos carregando esses sentimentos e tudo que acreditamos que aquelas situações nos trouxeram de ruim. Ao contrário, quando conseguimos enxergar os aprendizados e as experiências que tais relacionamentos nos proporcionaram, e ser gratas pelo que vivemos, abrimos caminho para novos sentimentos e seguimos com a alma leve.

A ideia é trocar a vibração da derrota para a gratidão. Mas como deixar de sentir mágoa por algo que ainda machuca? Essa pergunta é inevitável e de extrema importância. Não estou sugerindo que a gente finja que não dói. Um dia até pode parar de doer, mas o processo é longo e precisa de muito trabalho interno, talvez até de terapia. A proposta é focar nos frutos, aprender com o que passou, ser grata pelos bons momentos e honrar o passado para poder seguir em frente.

Muitas de nós vivem eternas mágoas, como se fizesse parte do pacto da vida jamais deixar de carregar o fardo por relações que terminaram e que, de alguma forma nos machucaram. Mas só conseguimos seguir em frente e abrir nosso coração para o novo quando fazemos as pazes com o que foi e conseguimos falar sobre aquilo com gratidão.

O modo de falar pode ser a primeira mudança

Reaprender a falar sobre o assunto de um jeito mais ameno pode ser o primeiro passo para a mudança. Nossa palavra tem muita força e a forma como nos expressamos contém energia. E nossa energia faz com que nos conectemos com pessoas e situações de energias parecidas.

A gratidão é uma das mais altas vibrações que existem. Ser grata pelo que nos aconteceu, mesmo que possa parecer uma tarefa dificílima em um primeiro momento, é um exercício diário que nos ajuda a entender que tudo que vivemos nos ajuda a ser melhores. Nossas próximas relações serão melhores pelo que aprendemos com as anteriores. Nós somos melhores quando ouvimos o que diz nosso coração sobre cada experiência.

Que tal começar a rever o modo como você conta sua história, como se refere ao seu ex-namorado ou marido, a seu ex-chefe, ao seu emprego anterior, a situações que viveu com seus pais ou amigos? Quem sabe aí esteja a chave para começar a ter dias mais leves e a conectar-se com vibrações mais altas, que atrairão, por sua vez, experiências também mais condizentes com seu novo momento! Que a gente consiga trocar o sentimento de fracasso pela gratidão!

relacionamentos passados vibração.png