Parceria de amor e trabalho com a mesma pessoa – dá certo?

Amo com quem trabalho, trabalho com meu amor. E agora? O dilema de não saber separar trabalho e relacionamento ronda a vida de muitas mulheres. Vamos falar um pouco sobre o tema?

Amor e trabalho, como separar? Muitas mulheres vivem esse dilema: ou namoram/casam-se com alguém do ambiente de trabalho ou passam a trabalhar com seus parceiros amorosos em projetos em comum. E aí surgem várias dúvidas, principalmente sobre como não atrapalhar o dia a dia corporativo com os assuntos do relacionamento, e nem acabar levando trabalho para casa e matar a rotina romântica. É possível conviver com essa situação? Eu diria que sim, e há diversos casais que podem comprovar esse fato. Acredito que a chave é saber exercitar o bom senso para evitar pequenos deslizes que podem se transformar em grandes problemas.

Parte 1 – namorar/casar-se com o colega de trabalho ou chefe

Quando nos apaixonamos por alguém com quem já trabalhamos, o grande dilema fica por conta de não conseguir separar os sentimentos. Imagine que você namora seu chefe e ele (em sua posição profissional) tenha que te fazer uma crítica ou até te dar uma bronca. Se não há maturidade no relacionamento, a situação certamente vai virar uma DR em casa, muitas vezes sem necessidade. A grande dica é entender que temos diferentes papéis em cada situação da vida. Claro, não devemos fingir que não sentimos os desdobramentos de uma relação ruim a dois no ambiente de trabalho. Se um não está bem, certamente o outro vai estar comprometido, nem que seja de leve. Mas é preciso segurar a onda na hora de ser reativa, por exemplo, para não ser levada por um impulso e colocar os resultados do trabalho a perder. Não é simples, mas dá para exercitar.

Parte 2 – quando decidimos trabalhar com o parceiro

Os dois se dão super bem e decidiram empreender juntos? Ok, é hora de respirar e colocar alguns pontos nos “is” antes de arregaçar as mangas. Primeiro ponto: estabelecer tarefas e limites previamente é uma ótima estratégia para que ninguém se sobrecarregue e evita muita dor de cabeça depois. Segundo ponto: o combinado precisa ser: saímos do escritório (nem que ele seja virtual), voltamos a ser somente companheira e companheiro. Tem que ter a hora certa de voltar a falar de negócios e principalmente para fazer aquelas reuniões mais tensas. Um casal que sabe separar esses dois momentos, o de casa e o do trabalho, tem mais chances de ser bem-sucedido nas duas áreas da vida.

O que fazer?

Para que uma parceria profissional entre um casal renda bons frutos, é essencial que ambos tenham plena consciência da posição e do papel que desempenham no cenário do ambiente de trabalho. A intimidade entre o casal certamente pode ser um bônus, mas se transforma em ônus quando um se acha no direito de invadir o espaço do outro e trazer palpites ou críticas desnecessárias. Também é importante ressaltar que a competitividade atrapalha o conceito de parceria em si – tanto no âmbito pessoal quanto no profissional.

Algumas dicas:

1. tenham papéis e funções profissionais bem definidos;

2. sejam claros e objetivos em suas colocações;

3. evitem palpites e críticas desnecessárias;

4. nunca levem uma discussão ou desentendimento profissional para casa, ou pessoal para o ambiente de trabalho;

5. priorizem a verdade e o conceito de parceria.

parceria amor trabalho.jpg

As relações profissionais e o amor-próprio

É verdade que quando se trata de relacionamentos amorosos, amor próprio é imprescindível. No entanto, as relações profissionais também dizem muito sobre nós e podem ser um caminho repleto de aprendizado e valorização pessoal.

Como prometido, vamos falar mais um pouco sobre as relações profissionais. Como você já deve ter percebido, passamos mais tempo com nossos colegas de trabalho do que com família, amigos e amores. E, diferente do que muita gente pensa, as relações profissionais também podem nos ensinar muito sobre o amor próprio. Quem se ama tem mais facilidade de se valorizar e de expressar seu valor aos outros. Já quem não sabe o valor que tem, acaba aceitando o valor (ou desvalor) que lhe dão.

Uma das diversas maneiras de expressarmos nosso valor é através da nossa profissão, daquilo que fazemos diariamente. É no trabalho onde desenvolvemos nosso jogo de cintura, aprimoramos nossa capacidade de trabalhar em equipe, e aprendemos a impor limites e a respeitar o limite dos outros – ou seja, o ambiente de trabalho é uma verdadeira universidade de relacionamentos.

É normal nos espelharmos nas pessoas com quem convivemos, e também projetarmos nelas nossas expectativas e nossas próprias carências e frustrações. Por isso, todo relacionamento é um caminho para o autoconhecimento. No caso das relações profissionais, mais ainda, porque há inúmeras implicações: contratos, hierarquia, deveres, troca. Tudo funciona como mediador e, ao mesmo tempo, como intensificador de ações, reações e resultados. Já parou para pensar nisso?

Aprendendo a se valorizar

Existem duas maneiras de nos conscientizarmos do nosso valor: primeiro, entendendo quem somos, que talentos possuímos, que qualidades e experiências carregamos, o que temos para oferecer ao mundo. Segundo, permitindo que as pessoas nos valorizem, do contrário, nos sentimos frustradas.

Vivemos em sociedade, portanto, a interação e a troca, além de necessárias, são riquíssimas e funcionam como condutoras de felicidade: somos felizes quando de fato nos sentimos parte de um todo. Mas, se por um lado não podemos negligenciar a verdade de que estarmos integradas é essencial, por outro, não podemos depender da opinião alheia sobre nós.

E isso fica evidente no dia a dia do ambiente de trabalho. Observe suas relações profissionais e perceba se você está se posicionando adequadamente: você se valoriza e se respeita? Sente-se valorizada e respeitada? Valoriza os outros e respeita os limites de cada um? Conte pra nós!

relaçoes profissionais, amor próprio, valorizaçao pessoal.jpg

A importância dos relacionamentos profissionais

Há quem pense que curar relacionamentos refere-se apenas ao amor. Mas as relações profissionais precisam de um olhar cuidadoso e amoroso para serem curadas e permitirem que exploremos nosso verdadeiro potencial.

Ambientes profissionais são palco rico para os relacionamentos, e curar as relações no trabalho faz parte do caminho para uma vida mais satisfatória e feliz. Quantas vezes você quis fazer seu chefe sumir? Quantos atritos com algum colega de trabalho você já teve? Ou então, quantas vezes você mesma refreou seus talentos para não entrar em conflito no ambiente de trabalho? Pessoas com problemas de relacionamentos podem ter uma dificuldade incrível para construir uma vida profissional plena, você sabia?

A não ser que você trabalhe apenas com máquinas, em algum momento terá questões a serem resolvidas com pessoas durante sua trajetória profissional. Sempre há alguém com quem o “santo não bate”, sabe? Ou alguém a quem você não consegue dar limites, alguém com quem você se irrite com certa frequência, alguém que você acredite que está, de alguma forma, abusando da sua boa vontade.

Não sei se você notou que, todas as situações citadas estão sob o SEU ponto de vista. Sim, porque em cada situação, aquilo que nos incomoda é o que precisa ser avaliado. Se alguém não respeita seus limites no trabalho, de que forma você está se colocando para mudar essa realidade?

Se você se irrita com as atitudes de algum colega, é sempre bom avaliar os motivos reais pelos quais isso acontece: talvez vocês tenham valores muito diferentes, personalidades conflitantes ou então, você simplesmente não gosta da forma como ele ou ela age e precisa tentar entender os motivos pelos quais isso mexe tanto com você.

Por que curar relações profissionais?

Principalmente para quem tem um emprego formal ou presta serviços para uma determinada empresa, a realidade é: passamos mais tempo em nossos empregos do que com nossas famílias e amigos. Então, por que não prestamos mais atenção nessas relações interpessoais que fazem parte do nosso dia a dia?

Muitas vezes, negligenciamos nossos relacionamentos profissionais, enquanto é com eles que temos que lidar na maior parte do tempo. Preste atenção: será que o modo como você se relaciona com chefes, clientes e colegas não influencia seu crescimento profissional? Se quiser saber mais sobre o assunto, fique ligada nos próximos textos aqui no blog e melhore seus relacionamentos profissionais.

shutterstock_506137132-1000x600.jpg